MPEs geram 75% dos empregos na PB
7 de fevereiro de 2024
Redação

Consideradas como essenciais no processo de geração de emprego e renda no cenário da economia, as Micro e Pequenas Empresas (MPE) fecharam o mês de novembro, somando 2.750 vagas no mercado paraibano. O saldo corresponde ao percentual de 75% de todos os postos de trabalho (3.657) do período. Já as Médias e Grandes Empresas (MGE) registraram 868 oportunidades.

Os números são de um levantamento produzido pela Usina de Dados do Sebrae/PB, um ecossistema de criação e divulgação de informações inteligentes (https://usinadedados.sebraepb.com.br/), a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Destaque por setor – Os setores de serviço (1.380), comércio (936) e construção (266) foram os responsáveis pela criação da maior parte dos empregos em novembro entre as MPE. Juntos, eles somaram 2.582 vagas no mercado. Os demais setores indústria da transformação (168), SIUP (16), extrativa mineral (9) e agropecuária (-25) complementam os dados.

Entre as MGE, os setores de serviço (545), comércio (292) e construção (131) repetiram a mesma tendência observada entre os pequenos negócios. Segundo a gerente da Unidade de Gestão Estratégica e Monitoramento do Sebrae/PB, Ivani Costa, os números mostram um cenário positivo de contribuição para a economia do estado. “Com os empregos principalmente registrados pelos pequenos negócios, em sua predominância, no Agreste e na Mata Paraibana, regiões com os municípios que mais geraram vagas de trabalho, a economia paraibana mantém seu ritmo de empregabilidade”, pontuou.

Acumulado – No período de janeiro a novembro de 2023, as MPE registraram saldo de 20.726 oportunidades, enquanto as Médias e Grandes Empresas (MGE) tiveram -223 postos. João Pessoa (9.688) e Campina Grande (2.928) foram as cidades que mais geraram novas oportunidades entre as MPE. Em seguida, aparecem Cabedelo (1.275), Patos (635) e Bayeux (622).

“O destaque são as cidades João Pessoa e Campina Grande, que acolheram novos empreendimentos de serviços, ainda sob a influência da retomada da cadeia turística e uma extensa lista de novas atividades econômicas que são voltadas para locação de bens e equipamentos de construção, serviços de bem-estar, lazer e entretenimento”, concluiu Ivani Costa.

Ainda de acordo com os dados, neste mesmo período os setores de serviço (8.798), comércio (5.406) e construção (5.331) foram os que mais somaram postos de trabalho entre os pequenos negócios. Os demais portes indústria de transformação (969), Agropecuária (210), Extrativa Mineral (7) e SIUP (5) fecham a estatística.

Compartilhe: