Crediamigo inicia plano de expansão
7 de fevereiro de 2024
Redação

Com o objetivo de se aproximar ainda mais de seus clientes, o Crediamigo, programa de microcrédito produtivo e orientado do Banco do Nordeste, irá ampliar a sua estrutura de atendimento até 2025, saltando das atuais 473 para mil unidades, entre lojas, containers e pontos de apoio.
 

A ampliação teve início ainda nos últimos dias de 2023, com a inauguração de uma unidade na Feira de Caruaru, em Pernambuco. A expansão deve contemplar todos os estados da área de abrangência do Banco, que inclui além da região Nordeste parte de Minas Gerais e Espírito Santo.
 

“Com a implantação de novas Unidades do Crediamigo e a redução da taxa de juros mensal já implementada no ano passado, estamos cumprindo o pedido do presidente Lula de priorizarmos os financiamentos voltados para os micro, mini, pequenos e pequenos médios empreendedores. Nossa meta é que, em 2024, este volume cresça de 51% para 62% dos nossos contratos”, afirmou o presidente do Banco, Paulo Câmara.
 

A expansão inclui ainda modernização, padronização e reposicionamento de algumas unidades já existentes. “Serão todas estruturas modernas, instaladas estrategicamente mais próximas dos clientes atuais e potenciais, facilitando assim o atendimento e ampliando a presença do programa”, destaca o superintendente do Crediamigo, Helton Chagas.
 

Resultados de 2023
 

O ano de 2023 foi um marco na história do Crediamigo. Além da comemoração dos 25 anos do programa, considerado referência em eficiência na América Latina, o destaque foi a redução da taxa de juros mensal, que passou de 3,2% a 1,94%, após três reduções ocorridas durante o ano. No acumulado, a queda dos juros foi de 39,37%.
 

Foram R$ 10,64 bilhões desembolsados, por meio de 3,55 milhões de operações, beneficiando mais de 2,1 milhões de clientes. Outro marco de 2023: do total emprestado, mais de R$ 2,1 bilhões foram do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o maior volume anual já contratado com essa fonte de recursos na história do programa.
 

“Essa contribuição do FNE foi essencial para impulsionar nossos resultados e fortalecer o apoio aos microempreendedores na região. Estamos comprometidos em trabalhar fortemente e com muita responsabilidade a inclusão social e geração de ocupação e renda por meio de nossos programas de microcrédito”, destaca Paulo Câmara.
 

Compartilhe: