29% das microempresas fecham após 5 anos
7 de fevereiro de 2024
Redação

De acordo com um levantamento do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 29% dos negócios registrados como MEI (Microempreendedor Individual) encerram suas atividades após os cinco primeiros anos. Ainda segundo o estudo, o setor com maior impacto foi o do comércio (30,2%). Fortalecendo esse panorama, 2024 promete ser um ano ainda mais desafiador para o empreendedor brasileiro. Isso porque, de acordo com relatório da Focus, divulgado pelo Banco Central, a expectativa de inflação para o ano que vem passaria de 3,87% para 3,90%. Para Aline Soaper, educadora financeira e idealizadora da Health Money, empresa especializada no serviço de gestão e assessoria financeira para micro e pequenas empresas, a falta de conhecimento financeiro é o que mais contribui para falência de empresários iniciantes.

“O empreendedor começa o negócio com a especialidade prática e com pouquíssimo conhecimento sobre gestão administrativa e financeira de um negócio. Foca em crescer sem estruturar a base e se perde durante a jornada. Muitas vezes desiste do negócio por não saber como encontrar uma saída e se recuperar de uma crise. O conhecimento não impede que as crises aconteçam, mas é fundamental para que as empresas sobrevivam a elas. Não podemos impedir que a inflação reduza o consumo, mas com conhecimento é possível continuar saudável apesar do cenário desfavorável”, explica a especialista que já formou mais de 6 mil especialistas em finanças.

Segundo o estudo do Sebrae, dentre os fatores que contribuíram para o fechamento dos negócios, está o pouco preparo pessoal, a ausência de um planejamento do negócio, a gestão do negócio precária e outros. Com objetivo de fazer a gestão financeira estratégica das pequenas e microempresas de forma mais assertiva, Aline Soaper acaba de lançar a Health Money. A empresa especializada no serviço de gestão e assessoria financeira para micro e pequenas empresas. “Cuidamos de todo operacional e estratégia financeira para que o dono do negócio possa ter liberdade e inteligência de dados para fazer a empresa crescer”, conta Soaper. Entre os serviços oferecidos pela Health Money estão a controladoria e todo o BPO Financeiro com serviços operacionais como emissão de nota fiscal, realização de cobranças, controle de pagamentos, e a gestão e assessoria financeira que trazem análises práticas sem o “financês” para o empresário saber exatamente o que precisa para alcançar o lucro que almeja, ou seja, tudo o que a empresa necessita para ser saudável e crescer com sustentabilidade.

O catarinense Edir Mirando, fundador da microempresa Drakos Sushi, quase chegou a fazer parte dessa estatística do Sebrae. Após seis anos de operação e sem qualquer conhecimento financeiro, o que estava levando sua marca à falência, a Drakos Sushi encontrou na consultoria de gestão financeira uma solução para sair do vermelho. “Em um momento crítico para a empresa, percebi que era necessário agir e buscar ajuda especializada. Foi quando decidi investir em consultoria de gestão financeira para entender e reverter a situação delicada em que nos encontramos. Os números não mentiam, e a falta de um planejamento financeiro adequado estava minando todo o esforço e dedicação que colocamos no negócio ao longo dos anos. A consultoria não trouxe apenas esclarecimentos para os desafios financeiros, mas também nos guiou na implementação de estratégias para reorganizar as finanças da empresa. Com as mudanças inovadoras, começamos a ver resultados positivos quase que imediatamente. O controle mais eficaz dos custos, a otimização dos processos financeiros e a definição de metas realistas foram cruciais para reverter a situação. Hoje, o Drakos Sushi não apenas saiu do vermelho, mas também experimenta um crescimento sustentável e a vivencia de uma história de sucesso duradoura”, lembra Edir Miranda.

Para auxiliar os micros e pequenos empreendedores brasileiros a manterem a saúde financeira dos seus negócios, a educadora financeira Aline Soaper sugere 4 dicas práticas que precisam ser adotadas desde o início do negócio:

  1. Fazer o controle financeiro do negócio e separar as finanças pessoais das finanças da empresa, mesmo que seja um profissional autônomo ou MEI;
  2. Definir metas de faturamento e gastos de acordo com a realidade financeira da empresa, sem fazer previsões baseadas em um cenário muito favorável que pode não acontecer.
  3. Ter um profissional qualificado para fazer a gestão empresarial e financeira da empresa, não escolha apenas alguém de confiança, essa pessoa precisa de qualificação profissional e de eficiência nos resultados.
  4. Criar um plano de crescimento para os próximos 5 anos, considerando pequenos avanços que geram resultados a curto, médio e longo prazo”, ressalta a idealizadora da Health Money.
Compartilhe: